segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Irmão

Sempre achei irmão uma coisa curiosa. Calma, eu vou explicar.

Convém dizer que eu tive a experiência de ser filha única até meus 8 anos de idade, depois veio meu irmão Vítor (que eu escolhi o nome, aliás). Lembro quando ele nasceu (03/07/00), achei incrível o fato dele sair de casa dentro da barriga da mamãe e depois estar ali, todo formado e feinho como todo recém-nascido, no meu colo. O primeiro sorriso dele foi pra mim :D Provavelmente o primeiro tapa também, mas enfim (:
-
Aí eu chego na questão que eu queria. Irmão faz parte de uma estrutura social, a família. Você convive com ele todo dia [todo saanto dia... ê shaushua]. Conhece as qualidades, os defeitos, os gostos e se habitua com a presença dele.
-
Às vezes, deixamos a mamãe confusa: Eu gosto de bolo de chocolate, ele prefere bolo branco. Eu gosto de nescau gelado, ele gosta de quente. Eu gosto de tempero na comida, o Vítor não suporta. Eu gosto de queijo mussarela, ele gosta do queijo prato. Eu gosto de Ben 10 e ele também... opa.
-
Então... Uma vez li em algum lugar que essas diferenças entre irmãos são praticamente uma questão de sobrevivência. A fim de se destacar, um busca ser diferente do outro. Inevitavelmente poderão ocorrer conflitos. Eu e ele temos necessidades e interesses beem diferentes e gênios bem fortes. Aí já viu...
-
Mas eu particularmente gosto quando nos unimos pra zoar alguém (: Ou quando temos crise de riso, ou quando decidimos alguma coisa juntos, quando ele pergunta as coisas pra mim, por mais que me falte paciência às vezes, enfim. Eu vejo a mamãe com meus tios e tias e acho muito interessante o vínculo deles. Percebo que ele será meu único vínculo desse tipo e tento esforçar-me para melhorar a convivência entre mim e esse presentinho que Deus enviou ao nosso lar, que já foi motivo de tantas e tantas alegrias e berros de nervoso ;)
-
Ooookay Vítor, depois dessa tu podias lavar a louça pra mim, heim? Que tal?